Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

                       Sempre
                                                 Carlos Orlando

Sempre de nos dois, haverá de fluir encanto.
Mesmo os ínfimos, desde os primos abraços
Desmedidos pois, incessantes, no entanto.
Eternos, o são, resíduos de nossos laços

Sempre haverá, de ti, uma saudade infinita
Do teu perfume, do hálito e da tua saliva;
O pulsar de tuas veias, a lembrança excita,
Da tua boca, o beijo, a língua a deriva.

Sempre haverá um ninho doce, a espera,
De nós dois, ímpetos consumados ao calor.
Em mim, o alado corcel a mercê de uma fera

Que espreita, ao faro do nectar, que lhe dera.
Descrever-te, seria, assim, o vislumbre do furor.
Em ti, a felina, entretanto ao cio, doce pantera.



Macapá-AP, 02/08/06 ÀS 18:50
Carlos Orlando
Enviado por Carlos Orlando em 16/08/2006
Reeditado em 31/10/2016
Código do texto: T218050
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Voce deve citar a autoria deste texto como sendo de Carlos Orlando Fonseca de Souza e o site www.carlosorlando.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Orlando
Macapá - Amapá - Brasil
33 textos (127630 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 08:13)
Carlos Orlando

Site do Escritor