Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Amarga recordação

Trago nas mãos frias, a emoção pungente
Daquele último aceno que se perdeu
Uma sensação indiferente
Depois que deixastes de ser meu

Tantas ilusões me escaparam
Nas lágrimas que, sem querer, eu derramei
As lembranças que por fim ficaram
São na verdade, uma herança que herdei

O silêncio supremo que veio depois
Cortou-me a alma, já dilacerada
Restou a impressão de que nós dois
Não fomos nós ... não fomos nada!

O tempo há de curar esta amargura
Pois muito pura foi minha ilusão
A inocência, vez por outra, é uma loucura
Que só tortura nosso frágil coração...



Priscila de Loureiro Coelho
Consultora de Desenvolvimento de Pessoas
Priscila de Loureiro Coelho
Enviado por Priscila de Loureiro Coelho em 03/06/2005
Código do texto: T21891
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Priscila de Loureiro Coelho
Jacareí - São Paulo - Brasil, 65 anos
1286 textos (215194 leituras)
1 e-livros (148 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:01)
Priscila de Loureiro Coelho