Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

eu que fui...

Eu que fui o mestre, não sou mais
E para aqueles que passaram pela porta
Do destino, não lhes sabe mais voltar.
Vejo uma inspiração que me segue pelo ar.

Vejo o verde do meu pequeno ser à brotar.
Que prazer se manifesta nessa contemplação?
O prado que se passo a olhar
Não me tira do pensamento as visões
Do portão do destino.

Penso que se um dia eu passar por ele,
Me jogue no céu daquele buraco, pois
Na minha terra quero servir de excremento
Para o prado que se encontra lá
E os gados que passar por ele
Se alimentem no meu simples lar.

Um dia quando todos passarem
Pelo belo portão, no meu sitio hão de
Chegar e no verde do meu prado
Todos irão descansar. E a morte
Descansa funebremente por lá.
Edmir Junior
Enviado por Edmir Junior em 20/08/2006
Código do texto: T220812
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Edmir Junior
Juripiranga - Paraíba - Brasil, 30 anos
83 textos (1735 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 15:44)
Edmir Junior