Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O PESCADOR DE PÉROLAS

Náufraga de amor
aceno o meu lenço branco
grito mensagens em garrafas sem rótulo
que espalho por este mar que me rodeia...
Vidros translúcidos para o meu desejo
opacos para os navegantes da materialidade
 
E vou enfraquecendo nesta ilha solitária
morrendo à míngua na esperança de um milagre
que me arranque das mãos o desfiado lenço branco
puído de lágrimas e de esperas
 
Ao largo vão passando os navegantes
exibindo suas bolsas carregadas de moedas
gulosos de sexo e concupiscência
julgando salvar-me com oiro e noites de lascívia
 
Num misto de lágrimas e gargalhadas
escondo entre as folhas secas de palmeira
a já esfarrapada bandeira do meu S.O.S. de pureza idealista
para que eles pensem que fui miragem
e não queiram salvar-me deste amargo-doce exílio
arrastando-me para a terra da materialidade
 
Antes morrer virgem de jóias e luxúria
esperando, utópica
o velho pescador de pérolas, nu, de mãos vazias
que há-de achar-me enterrada nas areias do sonho
e que... ébrio de espanto
abrirá a minha concha imune à erosão das marés
 
Para essa preciosa dádiva de Neptuno
me desnudarei de dogmas e tabus
e serei mente e serei corpo e serei alma
exalando odores a nenúfar e canela
na certeza de ser a sua busca iluminada
o tesouro
que levará nos braços para a terra prometida…
 
                                                                 
(In "Memorando de Fogo")
Carmo Vasconcelos
Enviado por Carmo Vasconcelos em 05/06/2005
Código do texto: T22210
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Carmo Vasconcelos
Lisboa - Lisboa - Portugal
203 textos (15408 leituras)
62 áudios (7662 audições)
15 e-livros (1368 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 09:17)
Carmo Vasconcelos