Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MINHA ARTE

Passo a passo,
piso no piso, sigo
avenidas de pedras brutas
desatinadas,
passo, deslizo,
as palavras foram desacreditadas,
minha arte agonizou no tempo
presa nos confins dos camarins,
solitaria ensaiou, protagonizou a vida
na ribalta escurecida
a espera da luz dos mandarins;
A velocidade do tempo atravessou meu tempo,
agora minha peça tem pressa,
rabisquei o desencanto com a tinta da certeza,
reescrevi o encanto com a pena da sabedoria,
se a grife da letra me encanta
a exuberância do verso é ousadia,
o texto revela a rebelde rebeldia
e nas linhas do contexto,
não preciso de nenhum pretexto,
sou o próprio;
Desconserta-se o douto literato,
diante de tamanha alforria,
porque o primeiro ato
é fato, é feito, é certo,
se o tempo é escasso
acelero o movimento no espaço,
registro a emoção no meu desabafo,
minha arte ganha órbita,
sento, sorrio e autografo.

ANDRADE JORGE
jan/2005
ANDRADE JORGE
Enviado por ANDRADE JORGE em 23/08/2006
Reeditado em 10/08/2009
Código do texto: T223559

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ANDRADE JORGE
Jundiaí - São Paulo - Brasil
1027 textos (90003 leituras)
26 áudios (1819 audições)
2 e-livros (330 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 12:06)
ANDRADE JORGE