Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dadivas

Ás vezes olho para o horizonte
Outras vezes olho para o azul do infinito
E quando olho para dentro de mim
Vejo-me tão triste e tão distante

Então eu penso no Criador
Deste universo onde vossas mãos
Com pinceladas sutis, pintou.
Paisagens, dando-lhes vida e cor.

Como nos deu vida, nos deu amor.
Nos deu o dom de falar, para podermos rezar.
Nos deu o direito ao livre-arbítrio
Nos deu a razão e o direito de pensar

Nos deu o sol para aquecer nossos dias
Nos deu o céu, também nos deu espaço.
Nos deu a lua, para enxergarmos a noite.
Nos deu as estrelas para guiar nossos passos

O Senhor, tudo nos deu, nada cobrou.
Nos deu a liberdade de ir e vir
Nos deu a terra, nos deu a semente.
A semear e colher, a nós, ensinou.

O Senhor nos deu a esperança
Nos deu a fé, que tanto necessitamos.
Nos deu ensinamentos, e como usá-lo.
Nas horas certas, para quando precisarmos
Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 05/06/2005
Código do texto: T22371
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147455 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 12:13)
Volnei Rijo Braga