Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Umbrais de Cedro

Diferente de tudo,
compadecido de todos,
frugal, ativo
e necessário;
coloco sobre a mesa
de pesamentos
aquela que me
primariza como
bom devedor.

Não basta saber,
bem ocultar,
falar aos sussuros,
pensar,
só medrar,
ávido e cativo.

Na minha porta de cedro
aguardo as repentinos
que surgirão na leve
madrugada.

São sonhos vizinhos,
imagens sem tempo,
figuras dela,
ocultadas
no fundo do tempo,
muma hora que nunca existiu,
num tempo que morreu,
sem velório de lágrimas,
assim, como se abana
o tempo devedor
com a carícia de lástimas.

Hoje somos apenas vizinhos
de duas portas:
quando ela abre seu portal
de lágrimas
eu fecho minha muralha
de saudades.
José Kappel
Enviado por José Kappel em 25/08/2006
Código do texto: T224856
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26785 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 04:04)
José Kappel