Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Espadas de Ferir

Voar inconsequente e
voar razante,
é o mesmo dedal,
voar junto,
às coisas
cujo princípio
é o medo
e o final, é a angústia.
É a mesma linha.

Voar, sem pálida força,
que retém o impulso,
voar, sem rumo
diante do que nasce,
e os que estão para partir,
é o fio que sufoca!
Em plena madrugada de ruço!

Assim é uma vida,
assim é o início dela
ao mesmo tempo
que faz nenhum paralelo.

Não há mais saídas
dentro deste túnel,
emborcado em direção ao norte;
não há mais entradas
que faça o zero se transformar
numa esperança a
não ser em mais algarismos
dss dores.

E os dias passam distraídos:
um dia você é,
noutro se foi;
numa hora, de pé,
noutra, em pleno vôo
desaguadado.

E se chamarem de angústia
o plano de esvoaçar no
arquejado azul,
a gente acerta duas vezes:
na primeira as coisas
deixaram de passar;
na segunda, já não
passam mais, nem como
sombra da espada.

Mas se é uma história
ela começa nos meus dedos
e termina por tentar
alcançar estátuas,
que se misturam ao séculos
que não têm idade.
E onde mora a morte
que já tem meu nome!
José Kappel
Enviado por José Kappel em 25/08/2006
Código do texto: T224890
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26787 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 09:14)
José Kappel