Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0312 - Desprezo fingido

Perco meus sonhos em meio a promessas,
meus planos ficaram no entremeio do teu corpo,
nenhum perfume senti quando entre teus braços,
nada mais me lembra paixão, nem tua ausência.
 
Foram-se os destinos na mesma direção,
dos sentidos aos quais pertencemos nada mudou,
nem saudade ficou marcada nos teus olhos
e nas magias que um dia vivemos foram sonhos.
 
Toquei muitos corpos insensíveis e nada senti,
não no teu que por instantes foi meu,
pequenos momentos não te deixaram marcas,
quando acordei já não me pertencia.
 
Enquanto abria caminhos dentro do teu sexo,
a paixão atravessou lado a lado o meu peito,
quando rasguei as vestes que mal lhe cobriam,
tuas unhas escreveram um adeus na minha carne.
 
Impossível não pretender qualquer outra paixão,
preciso fazer amor com algum sentimento no corpo,
ainda que finjo não te pertencer, te quero,
como o dia tem luz, meu corpo te tem amor.
 
07/06/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 06/06/2005
Código do texto: T22495
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116244 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:44)
Caio Lucas