Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Roupa de Passar

Vim do próximo
e acabei distante.
Uma hora um,
outro, a vez do próximo:
tudo numa reza só.

Nesta festa de mortos,
sou roupa de passar,
estou sempre voltando
pro mesmo lugar.

Largo tempo
de meu tempo,
de
minhas coisas
sem nomes.

Largo tempo,
e não perdôo,
todo se foi
vestido de garoto
de festa comum.

Largo tempo,
que já não tem sobras,
e delas não cobro;
e se você olhar
pros lados
vai ver que minha
história tem sua estafa.

Estamos sempre perdendo
pro tempo,
este, augusto, aproveita
prá levar todos,de um pouco
de nós, que estão socobrando
e morrendo.

Somos roupas de passar,
brevidade das horas,
suave amanhecer desconhecido,
onde cotovias anunciam
uma nova vida
que morreu.

E meu
medo já é conhecido e ardente.

E, dizem,lá onde moram:
o sol tem receio de estrelas
muito puras e candentes.
José Kappel
Enviado por José Kappel em 26/08/2006
Código do texto: T225587
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26789 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:20)
José Kappel