Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM POEMA PARA "DE TARDE"



De tarde, o prenúncio da noite que chega;
De tarde, a lida mais perto do fim;
De tarde, o cansaço de um dia de luta
Parece esperar um dia menos ruim.

Pra criança, a espera do pai que retorna
Do trabalho a trazer um carinho, um brinquedo.
Pra esposa, a certeza que um dia melhora
Acalenta seus sonhos e o espera mais cêdo.

De tarde, o banho pra vestir roupa limpa,
O cabelo molhado a ação denuncia;
Nos pés, a sandalha que chia de limpa
E lá vai o menino para a padaria.

De tarde, o pão, que parece mais fresco
Vai compor o jantar que mais cêdo é servido.
Talvez, seja um lanche, esse café da tarde
Quando à noite tem algo para ser servido.

De tarde, o "mais tarde" se usa bem menos.
De tarde, o dia cumpriu sua lida.
De tarde, se sonha com um novo dia,
Com uma noite no meio, essa é a nossa vida.


(POEMA ESCRITO NUMA TARDE DE MAIO DE 1999)
MILTON DUARTE
Enviado por MILTON DUARTE em 29/08/2006
Código do texto: T227799

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
MILTON DUARTE
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 49 anos
170 textos (563401 leituras)
44 áudios (202837 audições)
1 e-livros (80 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 18:17)
MILTON DUARTE