Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Lá no Fim do Mundo

Sigo o caminho do vento,
temeroso e retraido.
 
Sua passagem às vezes
cálida, às vezes rompante.
 
E sempre deixa rastros
cujos donos são nós mesmos:
frágeis,decorosos e temerosos
de sua força,
de sua presença invisível,
somos o papel doloso que ele remoeja.

Sigo o caminho do vento
pois ele foi feito para
conquistar adeptos,
ora diante de sua beleza,
ora de sua aridez.

Meu corpo se torna uma rija
camada de vento sem rumo
e sem prumo.

Apenas segue.
 
Segue indolor e sem nome.

Prá onde me leva, não sei.
Nem sei porque vou.

Se fui a um chamado
a um canto de dor.

Ou se há uma festa em seus braços!
Se o vento faz a festa
eu faço o drama.

Se o vento trás a esperança
eu lhe entrego a dor.

Porque tantos me chamam
dentro deste redemoinho
de caminhadas, perdas e
holocaustos que só o interior
pode refletir e bradar?

Se leva, não trás mais.

O vento foi feito para isso:
às vezes para trair, outra para
fingir sufrágios.
 
Eu no portal do nada
espero por eles todos os
dias -
como se fossem dias comuns -
espero que ele faça de mim roda
de criança, louça de bonecas
ou aperitivo para os adultos.
Se ele existe veroz, eu aqui
espero.
 
Quem sabe, se num belo dia
sem data e sem deuses,
ele me carrega para seu interior
e me mostra
onde é o meu fim de mundo?
José Kappel
Enviado por José Kappel em 31/08/2006
Código do texto: T229349
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26780 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 18:01)
José Kappel