Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Avenida

A avenida está cheia de ruídos e pessoas inquietas.
Meus olhos também estão inquietos.
Aqui parece que não se faz silêncio nunca.
O farol abre, fecha. As nuvens passam despercebidas. (Não fossem as enchentes, as chuvas também passariam) O rio correndo lá fora, bem longe daqui, quieto, bonito, livre. As pessoas fingindo não sentir falta, nem inveja. O sol nascendo, se pondo, nascendo se pondo. Ninguém vê. O coração batendo, parando, batendo, parando. Agora é Deus quem passa despercebido.
Na avenida homens caminham apressados, visivelmente incompletos , em direção aos seus destinos, cada um buscando garantir o seu futuro. Um quer ser feliz, outro seguro. Todos parecem hesitar, mas ninguém fala.
Homens de pele seca, de pernas desalinhadas, de corpos pesados, alguns pensando em seus sonhos, outros esquecendo...esquecendo...
eu noto rostos quentes, bocas frias, sorridentes mas estranhas, parecendo disfarçar uma distorcida quentura advinda da alma. Por que tamanha necessidade de sentir-se tão distante de si ?
Eu noto as pessoas e, quase sem querer, eu me projeto nelas...
Estamos "cheios" de ruídos e avenidas inquietas.
Kika Cardarelli
Enviado por Kika Cardarelli em 08/06/2005
Código do texto: T22951
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Kika Cardarelli
São Paulo - São Paulo - Brasil, 53 anos
32 textos (12936 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 10:42)
Kika Cardarelli