Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Sob o legado de Camões

O coração do poeta já foi ponte,
tentando inutilmente a ligação, sem dor,
da festiva esperança
com o silêncio abismal do desamor....

Já escreveu mil poemas de amor,
já fez serenatas por amor,
já tomou porres por amor...

Cansado de corroer a sua alma
com esse gostoso - mas insidioso – veneno vivente,
decidiu, um dia, que na sua vida teria tempo de calma!
Severo, olhou-se num espelho que impiedosamente
mostrava as suas rugas de amor, de falta de paz,
e, solene, decretou: “Amar, nunca mais!”

E viveu sem sobressaltos realmente um tempo de paz...
Mas um dia (quando foi?), dois olhos apaixonantes
lhe enviaram promessas de fugaz,
talvez, mas novo cálice de prazeres dilacerantes...
Nem hesitou: retomou o seu fado
de cantar a ilusão de amor. Poeta impenitente!...
Seu louco coração, que já estava quase sossegado,
volta a viver seu "contentamento descontente"...


 
Antonio Maria S Cabral
Enviado por Antonio Maria S Cabral em 01/09/2006
Reeditado em 05/05/2015
Código do texto: T230328
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Antonio Maria S Cabral
São Luís - Maranhão - Brasil
1271 textos (155704 leituras)
1 e-livros (286 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:46)
Antonio Maria S Cabral