Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Penúria em paz



Penúria em paz
=============ErdoBastos

Eu sou mais do que posso ser
sendo o que não sou.
Sou, como me fiz,
estou, como sempre me quis.
Sou teu bem, num mau momento.
Fraco, louco, teu tormento.
De Deus e de Diabo, em cada fragmento,
na borra de cada elemento,
meu poema acrescento...

Fujo da métrica, mas aceito a rima.
Desprezo a estética, patética prima.
Abro a alma e cumpro minha sina
de aprender a viver com quem me ensina.

E ponho abaixo o que me vem por cima!

Espalho as frases, soltas pelo texto,
aumento o espaço entre mim e o verso.
E te interpões, nave estelar que cruza
o espaço aberto do meu pensamento.
Doce aventura, ficção e incúria...

Vinho maldito que não me embriaga!

Quero beber, para voar contigo...
Espaço aberto, verso solto, me dedico a ti.
Anjo caído, universo findo!
Asas quebradas, como são meus versos...
As faces rotas de choro sofrido.
Olhos vermelhos, de esfregar no choro
teu nome, que molha todos os meus lenços
E a cada riso, mais um pouco eu morro
E vejo espaços ainda mais imensos
Que pinto e esculpo, cobrindo de arte
com versos e vinhos, que de alguma parte
o sonho traz, e depois me devolve.

Penúria em paz,
sem dor, sem revolta.
Vitória, na luz que o bem me traz.
Digo “oi” pra vida,
que da morte, nem sempre se volta...

ErdoBastos
Enviado por ErdoBastos em 01/09/2006
Código do texto: T230386

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ErdoBastos
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 61 anos
789 textos (36905 leituras)
2 áudios (124 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 01:48)
ErdoBastos