Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Mala

                        A Mala





Nas curvas da estrada
Que levam ao paradigma da viagem
Deixo soltarem-se pedaços ocos da bagagem
Que as ravinas se encarregam de engolir
Como se seguir o mapa
Fosse uma confrangedora inutilidade.

Irrecuperáveis os adornos
Resto nu sentado ao volante de um transporte sem escalas
Desarmado perante a surpresa das paisagens inesperadas
Paradisíacos édenes de natividades adormecidas
No ventre acolhedor de um futuro já passado.

As malas desfizeram-se elas mesmo
Sem ter necessidade de me acocorar em cima delas
Vigiando-as receoso de que se esvaziassem
No patamar ruído de qualquer dimensão transitória.

As camisas envelheceram
A traça abriu rombos nos colarinhos
E nos meus olhos rasgou fendas
De tanto olhar para dentro

Mas posso sempre fazer de novo a mala
A mala que hei-de levar comigo
A necessariamente inútil
Vá ela vazia ou a abarrotar de enigmas a decifrar.





Moisés Salgado
alestedoparaiso
Enviado por alestedoparaiso em 03/09/2006
Código do texto: T231876

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
alestedoparaiso
Portugal
209 textos (4174 leituras)
38 áudios (1068 audições)
2 e-livros (28 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 10:17)
alestedoparaiso