Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Adeus

Ao dizer-te adeus com tépida voz e mãos geladas
Não tivestes condição de entender o que eu de ti escondia,
Eu não podia no transbordar da emoção amar-te do jeito que tu querias.

Ao perceberes meu olhar perdido na vastidão do planeta
Procurando ao longe descobrir no infinito onde foi que errei
Aventurando-me em desespero escutar tua voz em silhuetas.
Tudo que eu conseguia ouvir era meu canto lírico em opereta.

Quando olhastes em meus olhos e vistes choro oculto pelo sorriso
Encoberto, não eram de contentamento, eram minhas amarguras.
Que durante toda vida guardei, jamais a ti revelei...
Eram as marcas que na vida para mim nunca sonhei.

Inapagáveis, dolentes, que consternaram e levaram-me ao sofrimento...
E todas as vezes que eu as admirava ou tocava, voltavam a sangrar,
Sem dar a oportunidade de eu esquecer e de dor me aquietar.

Ah! Mas no momento em que parti, falaste que era tolice minha,
Acreditando que eram palavras jogadas ao vento, nada mais restava
Entre mim e ti, nada mais... Contigo eu não estava mais...O único
Mistério é que tu não havias percebido... Quando tua ficha caiu
E fostes me procurar não havia mais chance para reconciliar.
R J Cardoso
Enviado por R J Cardoso em 04/09/2006
Reeditado em 06/09/2006
Código do texto: T232221
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
R J Cardoso
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
3128 textos (79557 leituras)
2 e-livros (393 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:41)
R J Cardoso