Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meu rio

Sentado a beira do Rio
Só eu, e o silencio da tarde.
Ouvindo o murmúrio das águas.
Que correm, em direção a lagoa.
E da lagoa correm para o mar.
Estas águas hoje cristalinas
Onde minha imagem se reflete
Retratada pelas águas, do meu Rio.
Meus olhos se enchem de lagrimas,
Que teimosas chegam a meu rosto
Prestes a se juntar, as águas do meu Rio.
De repente elas caem e se vão.
Correndo em direção a lagoa.
Que ás levará até ao mar.
Então choro já prevendo
A mão do homem na natureza
Não levando em conta, a tua beleza.
E os teus encantos meu Rio.
....................................................................

Rio Pelotas...
Que tanta, lembrança nos traz.
Rio de nossos ancestrais,
Rio das charqueadas, e velhas mansões.
Que aos poucos vão.
Deteriorando-se, com o tempo.
Hoje quase nada mais resta
De tua beleza, e de tua História.
Meu Rio, patrimônio da humanidade,
Pelo menos é o que diz a placa.
Na cabeceira da ponte
Sobre tuas águas meu Rio.
.........................................................................

Rio das Sete mulheres
E de consertos campestres.
Rio de tantos cenários, responda.
O que será de ti, meu Rio?
                                             Volnei R.Braga
Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 09/06/2005
Código do texto: T23248
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147455 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 11:58)
Volnei Rijo Braga