Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ampulheta


                   Ampulheta







Bebo na fonte da vida
Para atenuar a sofreguidão da minha sede
Água refrescante que acalma e alivia
Como uma massagem precisa e relaxante
Após a desenfreada correria
Na atribulada maratona da vida.


Cada jornada é mais um passo
Que vai enchendo a ampulheta
Os finíssimos grãos de areia
Ininterruptamente a tombar
Acumulam-se na parte inferior
E não há forma neste jogo
De lhe dar a volta para a confundir.


Sempre caindo, amontoam-se os anos
Bons, maus, razoáveis, tanto fazem
Na amálgama dos momentos
Tudo se complementa, tudo se esvai
Como uma pedra de gelo que se liquefaz
Ao sol escaldante da efemeridade.


Assim estou eu
Para lá do meio do meu tempo.





Moisés Salgado
alestedoparaiso
Enviado por alestedoparaiso em 04/09/2006
Código do texto: T232620

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
alestedoparaiso
Portugal
209 textos (4174 leituras)
38 áudios (1068 audições)
2 e-livros (28 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:29)
alestedoparaiso