Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NA GARUPA DA POESIA

Cumpro minha sina de viver
ansioso por caminhos,
novas sendas para
a condenação de estar vivo.

Construo-me na busca de razões
para continuar sendo útil,
semeando idéias, desafios.

Sei do ofício de cantor do Belo,
mas choro o social,
porque o Real é o meu ninho.

A caneta é sempre espada
sobre o pensamento
e o dia seguinte urde suas trampas.

A impotência de relatar alegrias
rasteja, tristonha,
pois o que fica lavrado,
como um arado eterno,
é a palavra.
E esta me crucifica.

– Do livro OVO DE COLOMBO. Porto Alegre: Alcance, 2005, p. 87.
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/23276
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 09/06/2005
Reeditado em 07/07/2011
Código do texto: T23276
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2581 textos (709723 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:03)
Joaquim Moncks