Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MATERNIDADE

Quem dá vida ao poema?
Aquela que o pare
ou esta que o joga
no mundo dos fatos?

A um filho da gaveta
jamais a gestação;
dorme nela um natimorto.

Convivo com ele feito um pai
paciencioso.
Atiço a sua fantasia.
Só não lhe troco as fraldas.
E, se chora, foi-se o pai...

Estranha é a maternidade do verso,
muda de casa logo após o parto.

– CONTINENTE SUL SUR – Revista do Instituto Estadual do Livro – IEL. Porto Alegre: nº 09, Nov1998, p. 65: 6.
– Do livro OVO DE COLOMBO. Porto Alegre: Alcance, 2005, p. 22.
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/23277
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 09/06/2005
Reeditado em 02/07/2011
Código do texto: T23277
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2581 textos (709694 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 16:00)
Joaquim Moncks