Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pérola de Carmim

A vez não tem
hora
e quando chega,
é a sua.

Foi assim a vida toda:
ela, de blusa de cachemira
vermelha,
-veludo carmim - ,
sedosa,pura, cheirosa,
eivando o espírito mais
simples,
transcendendo a
própria imortalidade.

Mas teve a vez:
o perfume se foi
como voam àsperos,
do frio, as andorras.

O cheiro se transformou
em âmago de nogueiras,
em córrego passageiro.

Mas teve a vez,
o corpo
que não era dela,
nem de mim próprio,
meu,sem dono,
se foi com o tempo.

Agora com o
jardim já seco
batido pelo sol,
meado de fome,
tem a luz que sufoca
as plantas róseas mal-vestidas,
e árvores quase secas.

E assim se foi.

A imortalidade tem um nome
bem comum,
Que poucos ousam falar:
Tem nome de ontem
dia vinte e pouco
do ano nosso de
cada dia,
de cada minuto
que sufoca
a respiração da gente.

E dissemos goodbye!
No típico Bogart!

E saudade tem nome,
sim senhor:
ventre escorrrido -
de lágrimas do algoz
cavalheiro -
que agora só, é pedra !
José Kappel
Enviado por José Kappel em 05/09/2006
Código do texto: T233151
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26778 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 02:55)
José Kappel