Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Lírios de Sempre

Lírio de três véus,
lírio do amanhã,
que sugere
o amor de sua vez.

Lírio que amadurece,
ao posto-vento
que redemoinha
por entre a vida,
e faz dela
um perpétuo
jaz de lembranças.

Jardim que a abriga,
sem justos e sem
fundamento:
lá, adquire o sentido de mulher
ao fogar do sol,
quando serena à noite pálida.

E ela caminha
por entre espinhos
que não calam
e desorientam,
mas não refuga o próximo
a visão do mar,
a festa de nove meses,
a reserva de amor.

Sem segurança,
rodopia por entre os dedos,
sem apartes,
e divide seu coração
com os mendigos.

Mas não mais adianta
voltar,
não mais adianta
seguir.
Os pêndulos da vida
já a marcaram
como zozinha
das horas.

E por mais que faça
já não mais ela,
é outro círculo que
a faz.

E numa bela manhã
de descobertas
avulsas, percebe,
indecisa, que o chegar
às vezes dói mais
do que o ficar.

E se é lírio
morre cedo!

Só pensando no grande
amor
que passou perto como
o vento de ontem !

José Kappel
Enviado por José Kappel em 13/09/2006
Código do texto: T239380
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2147 textos (26785 leituras)
1 e-livros (125 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 06:06)
José Kappel