Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SOLICITUDE

Catei pequenas pedras amarelas
Viradouro que aflora lá na margem
Conchas vermelhas sem embotar
No fundo alcalino destas águas
Flores de todas as épocas
Para que esse Jardim fique sempre bem
Catei pequenos cacos de telhas
Deixei brotando arbustos pequenos
Fiz desse fio d'água vala larga
Cuidando melhor daquela nascente
Doce água doce, tudo aspira,
Cá descanso os meus e os teus olhos
Remanso latino, alvas frutas & flores,
Dos canoros que aqui passam
Apenas o brilho do cantar fica
Da toca que se vê o beija-flor
Tem um canto guardado
Para todas as recordações
Bem como alguns desejos escondidos
Para aquelas horas mais tristes
Tem uma boa tapera de cobertura
Para ficar olhando a chuva bailar
E quando o Sol esvazia a umidade
Bancos para se sentar
Vai o tempo que ainda chorava
Hoje só penso no bom da vida.

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 22/09/2006
Código do texto: T246304
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120249 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:11)
Peixão