Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ENTRE SILÊNCIOS

No fardo que se espalha à campina
Carmesins se opalam na relva
Vagas nos sons da noite
Para a passagem de um elemento pela Lua
Vórtice no vento solar
Reticências olvidam os sensores da vida
Noutra cena a city espera a tarde
Parcas nuvens encobrem o cinza
Sem a presença do Sol
Locações para uma audição sonora
Martelam no fundo do ouvido
Tragicômica sinfonia dodecafônica
Há muito passaram os tubarões voadores
Debruçado na janela pelo tempo
Vem um texto que ilumina a manhã
Outro dispara o coração nos traumas urbanos
Cantigas para maturar os anseios
A doce Rosa em sedas descansa
Vermelho para novas aves de pedra
Enquanto o metropolitano carrega o dia
O grafite engrossa o plástico
Enquanto uma torneira pinga sem controle.

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 22/09/2006
Código do texto: T246305
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120252 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 14:31)
Peixão