Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

INCLINAM-SE OS VERDES

Cissa de Oliveira
 
“... azul
o céu da tua boca húmida
chegou a tempo de acordar
o júbilo que já silenciava...”
in: Ventos de Junho : José António Gonçalves


É o teu sopro o que amaina e alimenta
a sede.

É fino o cálice dos teus lábios
e encarnados os ventos de junho
que, para sempre,
te trazem.

Transfiguram-se todas as sementes:
digamos que se inclinam todos os verdes
que se inclinam à tua chegada,
até mesmo aqueles mais guardados.

É como uma nuvem de boas novas vestindo
o corpo das manhãs de domingo
e tatuando-se, límpida,
na alma.

Ninguém sabe em que tempo se dá
tal milagre. Sabe-se apenas que ergue, nos ventos
de junho, um altar.

No sacrário descansam,
sagradas como hóstias
as iluminuras das paginas
da bíblia por continuar.

Porque o teu sopro amaina
e alimenta
a sede.

Cissa de Oliveira
(22.05.05)
Poema no 3 da "Série JAG II"
Cissa de Oliveira
Enviado por Cissa de Oliveira em 15/06/2005
Código do texto: T24695
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cissa de Oliveira
Campinas - São Paulo - Brasil
140 textos (28490 leituras)
10 áudios (1446 audições)
1 e-livros (909 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 20:36)
Cissa de Oliveira