Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O maquinista e a estação central


a passagem para um mundo epifânico
nas esquinas das quadras sem esquinas
a cidade, fantasma e o povo em pânico
oferenda às entidades divinas!

me isolo na circunscrição vulcânica
na tribo de negros, o único albino
os pés em chamas nas valas cutânicas
em disparada, as rédeas do destino

posso agora voltar na forma orgânica
estáticos morrem os peregrinos
como estátuas em museus de grã-finos
destruídas por granadas islâmicas

desperta o sono, relógio mecânico!
onde o humano come o humano e fascina
as platéias num show de carnificina!...
...é a passagem para um mundo dinâmico

RENATO PASSOS DE BARROS
Enviado por RENATO PASSOS DE BARROS em 26/01/2005
Código do texto: T2482
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
RENATO PASSOS DE BARROS
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 43 anos
424 textos (18469 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 12:55)
RENATO PASSOS DE BARROS