Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POEMA DESCALÇO

  16-POEMA DESCALÇO
Nos braços do poema, por sonho embalada,
eu sigo contente por essas estradas, e vou mais além:
planícies, montanhas, por mares e vales...
faço lanche com a alvorada
e ceio com a lua, nas nuvens também!...
 
Passeio com o sol, por ele beijada
...isso é natural,pois sou namorada...
brinco calma com a amena aragem...
vôo segura, nas asas do vento...
canto canções de miragens...
Tão livre é o meu pensamento!..
 
Caminho tranqüila pelo arco íris,
saltando suas cores, pisando matizes...
escorrego na curva,
desembarco em touceira de vívidos lírios
e me sinto em estado de amor, por inteira!
 
É tão leve o caminho dos sonhos:
tão macio, alvo, brilhante,
que é preciso se vista um manto
nalgum fauno ainda castanho,
em seu passo, quase "ave trotante"!
 
Nesse templo sagrado do sonho,
fantasia, quimera, poema...
só se entra com os pés descalços
e com passo mais leve que pena...
Porque tudo compõe a estesia:
o poema dispensa o calçado,
mas, a vida, não dispensa a poesia.

Maria Mercedes Paiva.
 
;;;;;;;;;;;;;;;;;;;
 

Maria Mercedes Paiva Paiva
Enviado por Maria Mercedes Paiva Paiva em 26/01/2005
Código do texto: T2513
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Mercedes Paiva Paiva
São Paulo - São Paulo - Brasil, 65 anos
76 textos (4368 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/09/16 00:12)