Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Colapso

                                   Colapso






Sempre me julguei eterno
Enquanto o coração batesse
Agora, mesmo ouvindo-o palpitar,
Sinto-me mortal
Apercebo-me que como o pó da estrada
Que o vento sibilante dispersa
Valho tanto quanto o instante
Que o espalha no caminho
Dando-me conta de que um qualquer capricho
É capaz de tudo modificar
E que dependendo dele
Pouco ou nada posso alterar.




Moisés Salgado
alestedoparaiso
Enviado por alestedoparaiso em 01/10/2006
Código do texto: T253948

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
alestedoparaiso
Portugal
209 textos (4174 leituras)
38 áudios (1068 audições)
2 e-livros (28 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 20:01)
alestedoparaiso