Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMOR PROIBIDO

AMOR PROIBIDO
Cdor Heraldo Lage


Eu vivo um amor proibido
Onde impera além do libido
A verdade de ser concebido
Sem direito de termos vivido

Juntos vamos sempre, separados
Por alguém que entre nós resiste
Presente nesta ausência, fadados
Esse alguém que ainda persiste...

Ao manter uma união que não existe
De fato, mas apenas de direito (?)
Já que daquele casal em seu leito
No momento de amor alguém desiste

É a musa a quem dedico estas trovas
Embora fruto proibido, sempre ausente
Se doando a mim sem me pedir provas
Realiza-me vivendo em minha mente

Quando ao meu lado, se entrega intensamente
Faz de mim um amante realizado plenamente
Entrelaçando corpos, girando como um furacão
Deliramos fervendo como larvas de um vulcão

A cama, nosso ninho de amor, pequena se torna
Quando em movimentos suaves ou velozmente
À dura e crua realidade alguém de nós retorna
Despencando do colchão ao piso simplesmente

Suando em gozo por todos os poros, amantes
Buscamos as loucuras que o amor nos concede
Possuindo essa fêmea sob todas as formas...
Ela de frente ou de costas nos faz triunfantes
Mostrando que sua vida conjugal não procede
E não pretende mais seguir todas as normas!

Quando me beija dos pés à cabeça já fico excitado
Quando cavalga em meu colo, ainda mais extasiado
Quando me leva ao clímax em orgasmo, arrebatado
Quando relaxa sobre meu corpo, já estou encantado
Quando se arruma para ir embora, sou o novo tarado
Quando cruza a porta e se vai, eu despenco estatelado

Embriagados como que sob o torpor do vinho
Nos despedimos e ela retorna ao meu vizinho
Apenas dessa Nave que sou eu quem conduz
Pois é a mim que o brilho dos seus olhos reluz
Enquanto ele, co-piloto, é levado sem rumo
De carona em meu supersônico a prumo

A quem se estará proibindo esse amor?
A quem detém a carta de posse da Nave?
A quem a detém de fato e é dela o senhor?
A quem buscar orientação, a algum doutor?

Do que se faz dessa forma deliciosa
Resta ainda um fato a se resolver
A mulher de quem falo todo prosa
Sem perguntas vou responder...

Ela é muito possessiva
E também muito criativa
Se a ela entregar minha vida
Terei muito esforço nessa lida!

Porque vai querer me proibir
Meus novos amores proibidos!
E como eu jamais terei um porvir
Em semelhantes amores surgidos?

Estarei proibido de amar
Um novo amor proibido então
E sem poder encontrar novo par
Que tanto me excite viverei em vão

Ficar sem amor proibido...

EU NÃO !!!

Heraldo Lage
Amigos Verso & Prosa
http://www.hlage.com.br
Em 19-04-2005 – 02:54 hs.
Cdor HeraldoLage
Enviado por Cdor HeraldoLage em 18/06/2005
Reeditado em 16/11/2012
Código do texto: T25568
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cdor HeraldoLage
Santos - São Paulo - Brasil, 66 anos
46 textos (3462 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 18:30)
Cdor HeraldoLage