Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEU CALVÁRIO

Aninhei-me na resoluta imaginação,
e viajei pelos impensáveis arredores do mundo,
corri na planície da sensação,
ultrapassei a muralha dos sonhos,
e nas cercanias da fonte da ilusão,
avistei a decrépita decepção
rindo num canto
o pranto da desilusão;
Caminhei estrada afora
revivi momentos, instantes
distantes ou não,
e no lusco fusco do limiar da emoção
senti um olhar me fitando,
mas triste se afastava, me deixava;
Vi muitos erros repetindo-se lá fora,
refletindo em mares de lagrimas,
lágrimas que também chorei;
Sobrevoei o vasto lamaçal,
onde corpos em movimentos
enlameavam a alma na taça do mal,
quis fugir, quis sair,
mas como sair desse mundo
imundo
onde nem sempre o bem vence o mal?
Ouvi o soluço da minha criança,
vi a mão estendida,
vi uma vida quase perdida,
procurei apoio em outra mão,
não achei, senti frio,
minha mão ficou suspensa no vazio,
solitário
compreendi o meu calvário.


ANDRADE JORGE
03/10/06
ANDRADE JORGE
Enviado por ANDRADE JORGE em 04/10/2006
Reeditado em 04/10/2006
Código do texto: T255892

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ANDRADE JORGE
Jundiaí - São Paulo - Brasil
1027 textos (90001 leituras)
26 áudios (1819 audições)
2 e-livros (330 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 10:03)
ANDRADE JORGE