Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LOUCURA


Sou poeta, e como tal, sou louco...
Reconheço, sou louco pela chuva pouco a pouco
tamborilando na vidraça alegremente...
Sou louco pelo sol no entardecer,
quando nostálgico anuncia o anoitecer,
fechando o dia a retirar-se displicente...



Sou louco sim, pela brisa sussurrando nostalgias,
enchendo a alma num concerto em fantasias,
qual sinfonia de uma orquestra angelical...
Sou louco sim, por isso sou poeta...
Sou como os magos que  Deus poder empresta,
pra suportar tanta amargura infernal...



Sou louco pela vida de outro mundo,
pelas montanhas, pelo azul do mar profundo...
Sim, é certo que sou louco, pois que vivo em solidão,
a buscar tranqüilos rios que desabam nas cascatas,
caminhando pelos montes, no silencio destas matas,
vendo o céu e a imensidão...



Sou poeta. Sou poeta de outrora,
das serestas, da aurora,
das ilusões, das quimeras...
Sou louco sim, pois que tenho a paciência
de sonhar com a inocência,
renascida em primaveras...



Sou poeta, e como tal sou louco...
Sou louco, pois que morro pouco a pouco,
sem conseguir no meu peito te aninhar...
Sou louco sim, é como dizes, Musa amada,
sem saber que nesta insana jornada,
a loucura foi te amar!



Midi: Amor, amor... J. Iglesias
Em http://www.nelsonmedeiros.prosaeverso.net

Protegido pela Lei dos Direitos Autorais- Ao republicar, citar a fonte.

Nelson de Medeiros
Enviado por Nelson de Medeiros em 04/10/2006
Código do texto: T256492

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nelson de Medeiros
Cachoeiro de Itapemirim - Espírito Santo - Brasil
493 textos (66337 leituras)
11 áudios (2996 audições)
1 e-livros (184 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 17:57)
Nelson de Medeiros

Site do Escritor