Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Molécula

No universo tão infinito
Minha cidade é quase nada
Tão pequena quanto uma molécula do ar
Eu a inspiro, como um cigarro ou um perfume
Dependendo do meu filtro orgânico
E da minha psicológica sensibilidade odora

Não sou eu, ela não se é
A sou e ela me é
Assim como minha paternidade
Que me dá a minha inexistência, antes do zero
Pais sociais, sociedade paterna

Pernas de papel e de matérias raras
Todos têm...digestão só com as pernas
Alguns usam cadeiras de rodas ou próteses
Outros se esforçam com as mãos

Se inferno existe e para lá irei
A sociedade junta levarei
Não sou livre nem sincero
Sou um cérebro e em si um mistério
Como se a minha justa realidade não existisse
E sim apenas um fruto da consequência sarcástica que aqui reside
T a n
Enviado por T a n em 18/06/2005
Código do texto: T25762
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
T a n
Condeúba - Bahia - Brasil, 27 anos
31 textos (2090 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 13:11)
T a n