Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Espera, só espera

Deslizo meu espírito
para as profundezas
das águas escuras
do tempo de hoje.

E lá, permaneço
contemplando o horizonte
que se apresenta.

Aparentemente sem possibilidades,
devido ao silêncio
de três séculos do alvorecer
de um novo dia.

Ficar aqui na escuridão
destas águas,
na espera constante
de que a luz do sol
alcance estas profundezas
e ilumine minha alma,
deixa-me sonolenta de vida
e prostra-me ao chão
extenuada.

Extenuada da espera
pela aurora esplendorosa,
e de lutar diariamente
contra a força avassaladora
dos próprios sentimentos
que tomam conta da alma,
do espírito, e jogam o corpo
num fogaréu inapagável.

Onde buscar alívio e alento
senão na espera
que já me consome a alma
sem dó, nem piedade?
Maria
Enviado por Maria em 08/10/2006
Reeditado em 08/10/2006
Código do texto: T259158
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria
Blumenau - Santa Catarina - Brasil
4553 textos (186046 leituras)
1 e-livros (103 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 19:01)
Maria

Site do Escritor