Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O CONTRÁRIO DA FILOSOFIA

Um gosto entre dez gostos
É pouco mais que um desgosto.
Se não desfruto de cem sabores
A vida é insípida, sem sabores.

Se algum dia você se sentir ridículo,
Tal qual um plagiador desmascarado,
Saia do fiasco pela auto-sugestão,
De que desafia até o olhar de Medusa.

Os afetados poetas do século XXI
Ainda têm na lua a mais excitante musa.
Entretanto, insistem em taxar de amor
As orgias do cio em noite veraneia . . .

Se você crê que o céu está onde sempre esteve,
Ele nunca fugirá do alcance de suas mãos.
Se não descobrir sua real posição na vida,
Você será sempre esperanças destroçadas.

Há milhares de anos o sapo se incha
E, no grito, auto-proclama-se rei.
A cobra, em igual período de tempo,
Contenta-se com o mutismo de súdito.

Os micos amestrados latino-americanos,
Em cassinos sórdidos e de miseráveis cacifes,
Contentam-se com quimeras ideológicas,
Chamando-se mutuamente de "camarada".
Zico
Enviado por Zico em 08/10/2006
Código do texto: T259377

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Zico
Capelinha - Minas Gerais - Brasil
53 textos (24028 leituras)
2 e-livros (2996 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 02:29)
Zico