Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Dor do Mundo

Renasço de mim mesma.
Fênix na vida, subjugo as sombras.
Gerada no ventre do universo,
saindo de suas entranhas,
venho ao mundo num turbilhão de ondas,
mares de luzes a espalhar-se no horizonte.
Sou o tudo e o nada,
sou semente germinada,
sou a luz na longa jornada,
sou sentido,  sou a ponte,
do espírito da vida sou a fonte.
À minha direita abrigo o fogo,
à minha esquerda mantenho a água
que fundem-se em mim mesclando minha alma.
 Acoplado ao meu espírito encontra-se o vento,
fonte de meu sustento irmanando-se aos elementos.
Limpa, purifica, tonifica.
Transcreve minha história, renova minhas forças,
toca minhas faces consagrando-me à vida.
Acarinhando meus pés surge a terra.
Solo fecundo, abrigo do mundo,
santuário materno onde a vida impera.
Insondável, destemida, forte, altruísta,
tem como filhos os homens,
acolhidos mesmo quando a destroem.
Sou levada ao centro da vida
e vejo o homem em sua totalidade
dando cabo de sua dignidade,
entregando-se ao nada, pérfido mal que o assola,
doença epidemiológica que se assoma à toda espécie.
E choro...
Choro a dor do mundo,
angústia da vida,
desespero cósmico
que num grito aflito pede ajuda ao infinito,
aos filhos dos filhos de  seus filhos,
raios de luzes por sonhos envolvidos,
que despertem do sono da morte,
pondo fim ao comodismo.
Aisha
Enviado por Aisha em 20/06/2005
Código do texto: T26089
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aisha
Jundiaí - São Paulo - Brasil, 50 anos
791 textos (35174 leituras)
1 e-livros (57 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:15)
Aisha