Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pranto

A alma chora.
Derrama suas lágrimas
que correm o vazio desenhando a dor,
formando canal castrador
onde os sonhos se derramam,
desmancham-se em imagens deformadas
num rio de águas paradas, estagnadas,
sem amor...
Sem compaixão...
Sem esperanças...
Sem nada.
 
A alma chora.
E chorando perde-se em desencantos
restando-lhe apenas seu canto sacrossanto.
Entrega-se assim à súplica desesperada,
último artifício para o fim da jornada,
sepulcro da vida tirando-lhe o brilho,
atribuindo-lhe a palidez da geada
em sua face mórbida, desalinhada
 
Perde-se a luz...
Perde-se a esperança...
Perde-se a vida...
Semente morta na dor da partida
da alma que hoje só tem a lembrança
da alegria um dia sentida.
Aisha
Enviado por Aisha em 20/06/2005
Código do texto: T26132
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Aisha
Jundiaí - São Paulo - Brasil, 50 anos
791 textos (35176 leituras)
1 e-livros (57 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 22:23)
Aisha