Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Sexta-Feira, 13

O mau agouro, a bruxa, o medo da morte.
É o destino. O nosso mote,
“que ao fracos abate” ; logo: seja forte!
Os pontos, os fados, o Tarô. É a sorte.

Indefinidos esperam pelo Halloween.
Brasileiros temem o diabo Curumim.
O medo da morte é a nossa eterna consorte,
Não obstante o atlético porte.

A fada voa para longe. Está muito distante.
Oxossi está perto e, assim, saravá guapo galante.

Por que o temor? Por que associar a morte com o terror?
Tememos a segadeira, mas somos apenas a colheita
de certo momento que aconteceu ali onde se deita.

São três partes: nascer, viver e morrer.
Alguns com arte, outros pularam a segunda parte. Não souberam viver.
Contudo, há essa certeza: a terceira chegará. Fazer o que?
Fabio Renato Villela
Enviado por Fabio Renato Villela em 14/10/2006
Código do texto: T264079
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.recantodasletras.com.br"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Fabio Renato Villela
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 59 anos
1758 textos (328582 leituras)
1 áudios (27 audições)
4 e-livros (4091 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:52)
Fabio Renato Villela

Site do Escritor