Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Geléia Geral de Luz!

Escada, bate mais um prego na mão,
O que mal aprende, pior ainda fica,
Todo tiro que algum crédito facilita,
Dor de dente até a raiz da alma,
Fumaça transgênica no whisky sem gelo,
Comedores de unhas olhando para os pés,
O velho de moto descendo a ladeira,
Batendo o ponto com algumas cervejas,
Madame Mim na Kombi alada, trânsfuga,
Bocas de fornos com tantos pêlos de gatos,
Colibri ensandecido bicando espelho,
Enfia o farol de atravessado nas ventas,
Tantos pães amanhecidos na lixeira,
Cachorras estranhando urina & pessoas,
Batida policial na esquina, outro prego,
Furtos nos autos em migalhas de drogas,
O saco rasgando com tanta ignorância,,
Crianças que mal sabem ler as horas,
Brincadeiras de pátio, hora da trepada,
Narcóticos variados, sexo nas garagens,
Enfiou o dedo na porta, voou a janela...
Trovão vermelho esquentando o motor,
Outra estragada mental atenta a paciência...
Rezas perdidas, iconoclastas & passivos,
Pai que chuta o balde na trilha da cadela,
Trafego intenso no aeroporto clandestino,
Irreal conto de fadas de quem vive a margem,
Vagina alada, carecas atônitos, espirros,
Carteira vazia na conta do lápis seco,
Toda face rubra na feérica volúpia,
Ok, vire a cara para as desgraças, certo...
Pouco se liga para os desvios cotidianos,
Iluministas plantando bananeiras no salão,
Trocaram os gregos de lugar & de ano,
Coice anal na veraneio militar, luzes,
Dispara o alarme, drogaria fantástica,
O cedro que respira carbônicos de plantão,
Estaleiro parado por falta de parafusos,
Trincas, tintas, cabos & falhas no sistema!

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 15/10/2006
Reeditado em 15/10/2006
Código do texto: T264645
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120249 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:22)
Peixão