Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Na minha jangada me deito

Na minha jangada me deito
E lá deixo levar
Na corrente sem corrente
Do rio que está a secar
Agora só resta lama
Da água que lá morou
Nas margens já não há arvores
Porque o tempo, as derrubou
Na minha jangada me deito
E lá me deixo levar
Pelo vento que vai soprando
Sempre sempre, sem parar
Na minha jangada me deito
Até onde, me levar...
Mário Margaride
Enviado por Mário Margaride em 15/10/2006
Código do texto: T264743
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mário Margaride
Portugal, 64 anos
373 textos (27606 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 21:27)
Mário Margaride