Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0348 - Fantasias

Quero suas fantasias, todas malucas,
escoltar seu desejo até minha cama,
pode ser também no tapete, na sala,
hoje faça a sua vontade,
um amante não quer saber, pega e pronto.

Desvia sua boca por onde quiser,
estou cego, hoje mais ainda,
solta o resto da roupa, a calcinha é comigo,
tiro devagar, deslumbrando meu olhar,
imagina como já estou, louco, latejante.

Seja egoísta, não deixe que lhe toque,
role, arraste sobre meu corpo,
não quero sonhos complexos,
suba logo, faça de mim sua montaria,
afinal somos animais mesmo.

Vem, quero um banho língua, minha e sua,
reservei um vinho gelado para dar um choque,
depois lhe aquecer como nunca sentiu,
gota a gota fazendo um caminho
para lhe arrastar do céu ao inferno.

A noite está clara ou já é dia?
Pouco importa, ainda é cedo para parar,
tenho mais algumas calorias para queimar,
tome um gole, me limpe, abasteça sua libido,
enquanto corro seu corpo ajeitando os pêlos.

Imagino mais um bis, mas não dá,
agora só olhares cansados, corpos melados,
você prepara as fantasias de lá e eu de cá,
encontramos na cama, tesão não tem que ser normal,
daqui a pouco começamos a pensar um novo sonho.

21/06/2005
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 21/06/2005
Código do texto: T26561
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116251 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:40)
Caio Lucas