Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

APENAS

Eu não tenho as asas que dizes que tenho
Quando me vês voar:
São os teus olhos,
É o teu pensar...

Eu sou pesado,
Um sapo no fundo do poço,
Uma pedra na beira do mar,
Da noite, a escuridão...

O que vês enlouquecido,
Ora tudo, ora nada,
Ora aqui, ora além,
Em vôos de asas,
Ora impossíveis – asas quânticas,
É o meu sopro de vida
Que a tua proximidade liberta...

Pousou na minha face, igual um beijo,
O teu carinho de dizer que gostas de mim,
Agora já não me acho mais contido em nada,
Feito o Pernalonga apaixonado pulando para fora da galáxia,
Escrevo disparates, caio de joelhos beijando as tuas mãos...

Não tenho asas não...
Tenho coração de Poeta
E a leveza de um coração de menino...
Chico Steffanello
Enviado por Chico Steffanello em 16/10/2006
Código do texto: T266188

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chico Steffanello
Sinop - Mato Grosso - Brasil, 58 anos
246 textos (31032 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 14:26)
Chico Steffanello