Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desassoreamento


Euna Britto de Oliveira
www.euna.com.br



Havia canais que alimentavam a lagoa,
Ela nunca secava.
Havia sempre peixes, taboas e húmus
Em suas márgens férteis.
Havia sapos, é claro.
Toda lagoa tem sapos.
Eram quase inofensivos,
Com seu coaxar incomodativo
E seus saltos sugerindo sobressaltos!!!...
Mas não impediam as borboletas, de um amarelo liso,
Ou azuis, de olhos pretos estampados nas asas,
De sobrevoarem as águas...

Muitos foram os ciscos que entupiram o último canal,
Que se fechou por completo
Com o sujo de um jogo sujo!
O lugar da lagoa virou cratera árida e sem vida.

Mas Deus teve pena e sentiu saudades
Daquela lagoa linda!...
Soprou, o canal principal se abriu...
Depois, abriu-se um canal secundário,
Depois outro, depois outro...
Porque onde Deus passa, nada embaraça
E todos os caminhos se abrem...
A água começou a se juntar,
Os peixes – já tem peixes nadando!...
E tudo volta ao normal!

Parece que o canal ficou mais largo
Parece que a lagoa vai ser lago!
Euna Britto de Oliveira
Enviado por Euna Britto de Oliveira em 18/10/2006
Código do texto: T267064
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Euna Britto de Oliveira
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
995 textos (34675 leituras)
6 áudios (364 audições)
12 e-livros (692 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 17:07)
Euna Britto de Oliveira