Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Anjos de Piche

Uma imunda face no asfalto
Quieta, rota e morta,
Jaz a reclamar do estorvo
Cansada, fálica, relutante

Negras imagens se foram
Com as fumaças dos carros
E asas desenhadas no negrume
Desse horizonte banhado com fuligem

(e que roda a cada tique-taque)
E as rodas permeiam a sofrer
Conta-giros marcados a conta-gotas
Um pulsar frêmito a andar descalço
A tique-taquear sem rumo, incerto...
(com as horas a bater no peito)

Um velho a beira, na margem
Recolhendo ferrugens das penas
Que caem solitárias, pelo vento
Uma luz divina saindo do farol

Com cada linha a chorar sangue
Um cadáver que ri a cada volta
Imagens ilusórias tão sólidas e reais
Como um anjo a bater o carro...
Fabio Melo
Enviado por Fabio Melo em 19/10/2006
Código do texto: T267944

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fabio Melo
Santo André - São Paulo - Brasil, 32 anos
799 textos (255528 leituras)
6 áudios (1607 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:39)
Fabio Melo