Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema incendiário

Arde no meu peito
A chama dos incompreendidos
Arde e queima o último
Resquício do menino inocente
Queima a lembrança do Eu
Criança indo para a escola com
Papai e mamãe à frente
O incêndio se alastra
E chega à minha boca
Que cospe como maçarico
Salivas incandescentes
Que se misturam com as lágrimas
De um choro gelado
Provocado pelas incertezas
Formando rochas que
Entopem os poros
Da minha pele já desgastada
E ressecada pelas nuvens
De fumaça que escurecem
Meus pensamentos
Ardentes nas brasas do desejo
Que certamente os inquisidores
Da moral colocarão para
Queimar na fogueira acesa
Com o fogo do meu corpo
Que é fogo da paixão
Paixão que não é exclusiva
Paixão que é de todo aquele
Que comigo desejar caminhar
Sobre as cinzas quentes e ardentes do desejo.


Elano Ribeiro Baptista
Outubro de 2006.
Elano Ribeiro
Enviado por Elano Ribeiro em 19/10/2006
Reeditado em 20/10/2006
Código do texto: T268613
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Elano Ribeiro
Mendes - Rio de Janeiro - Brasil, 42 anos
60 textos (6007 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 20:43)
Elano Ribeiro