Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Augusta Schimidt

Duas árvores plantadas
Pela mesma mão que semeou o chão
Beberam da mesma água
Cresceram na mesma terra

Uma de rara beleza
Frondosa e encorpada
Oferecia sombra apenas
A quem vinha pela estrada

A outra pobre coitada
Nanica e desfolhada
Para nada servia
Na beira da estrada

O tempo passa lento
Mas chegou a temporada
E a bela e frondosa árvore
Não deu nada.

Ao contrario a nanica
Abastada de jabuticabas
Era a alegria
De quem por ali passava.

Já não servindo pra nada
A bela árvore acabou sendo cortada
E a outra, a abastada,
Lá estava,
Esperando a nova florada.

Às vezes na vida
Não reconhecemos a utilidade da sombra
Cortamos a árvore errada
Mais tarde é que percebemos
A nossa visão errada
Aí então a gente chora
Por não poder fazer mais nada.

Campinas/20/10/2006
1.00h

http://geocities.yahoo.com.br/coletaneadosaber_05

Augusta Schimidt
Enviado por Augusta Schimidt em 22/10/2006
Código do texto: T270315

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Augusta Schimidt
Campinas - São Paulo - Brasil, 66 anos
366 textos (532102 leituras)
4 e-livros (6968 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:43)
Augusta Schimidt

Site do Escritor