Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sem título(24)

Que não forcem sorrisos ausentes

Os dramas e seus efeitos eu declino

E a seiva dos olhos não cabe neste lugar

Tenho a boca de aurículas e ventrículos absorta

No rosto tomo a chapada de alegrias de sangue

No cérebro levo o corpo encarcerado

Almejo o horizonte inexistente

Nevrálgico ponto ausente da razão

Matemática coordenada da loucura


Cara a cara na fossa abjecta do opróbrio

Desquitado de ligeirezas e lisonjas

Prazer irredutível de ser contrário

Letra a letra

Em fonema caótico

Imperceptíveis palavras solares

Tragadas na tempestade narcótica

Ressaca violenta e acre
 

Cala-me agora o vento forte

São vozes nucleares audíveis na bonança

Invento um cântico de murmúrios lassos

O vento faz água o forte álcool

Tremor alucinado já desfeito

Frige ao sol a cabeça trepanada

Cirúrgico acto tresloucado


Pinto o chão de sangue e liberdade

De golfada em golfada

Gota a gota

A veia seca

O sonho pleno

Sei do lugar do repouso dos justos

No remanso do jardim das oliveiras

Dorme a paz no corpo do homem feito pássaro

Á sombra da árvore secular


Vou já lançado em órbita alucinante

Fugaz cometa em queda anunciada

Acordo o sono

Estatelo-me em sujo asfalto

Arde-me o sangue nas mãos quebradas

De tanto querer

E não desejar ter nada


Empilho a lenha na pira destinada

Meu sangue é querosene inflamado

Arde-me o corpo na vontade da partida

Alaga-me já o mar de cinzas enfeitado

Nem Fénix serei

Reencarnado ser jamais virei a ser

Enfuno as velas rubras do meu ser

Sigo a rota incerta sem regresso

Naufrágio anunciado em profecia


               Dionísio Dinis
Dionísio Dinis
Enviado por Dionísio Dinis em 23/10/2006
Código do texto: T271595

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dionísio Dinis). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Dionísio Dinis
Portugal, 54 anos
126 textos (5406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 12:11)
Dionísio Dinis