Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Bicho do mato


Euna Britto de Oliveira
www.euna.com.br



Um leão dormiu comigo esta noite,
O leão da capa do meu atual caderno de poesia...
Selvagem, olhos amarelados,
Juba penteada pelo último vento que o alcançou
Antes da foto,
O leão me olha,
A mim, humana e mansa, sem garras,
Sem vontade de guerras...
Fito a sua vontade saciada de carne, de presa,
Porque leão é carnívoro,
Quando tem fome, tem pressa!
Sua fome é urgente,
E, nessa hora, come até gente!
Mas o meu, de papel, alimentado,
Está sossegado.

Nas arenas de Roma,
Leões devoraram cristãos.
Homens deram aos leões outros homens
Para serem atacados!
Que eu saiba,
Leões nunca deram aos homens outros leões,
Nem mesmo para serem domados...

A natureza do homem tem uma parte mais que selvagem,
Uma parte cruel, que se chama desumanidade.

Leões de circo são cercados de cuidados, domados...
Esses, os homens entregam à curiosidade do público
Para serem consumidos vivos, mas só pelos olhos...
Euna Britto de Oliveira
Enviado por Euna Britto de Oliveira em 23/10/2006
Código do texto: T271900
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Euna Britto de Oliveira
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
995 textos (34673 leituras)
6 áudios (364 audições)
12 e-livros (692 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 20:49)
Euna Britto de Oliveira