Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Espaços Vazios

Você! Por que enche de coisas vazias o seu vazio?
Levanta!
Pega a vida que deixou estendida ao solo.
Grita!
Expulsa de você esse mórbido vazio.
Busca!
Busca a vida em cada coisa, em cada instante,
Em cada olhar. E não restará espaços vazios...
Ninguém pode estar vazio!
Quando há tanto a se dizer, a se fazer, a se amar...
Vamos gente!
Expulsar esse vazio, mudar o mundo, fazer do mundo um mundo melhor...
...um mundo sem vazios, pois foram homens vazios que mataram Cristo,
que mataram Gandhi;
foram homens vazios. Que marcharam com Hitler, que assassinaram Lennon e Sadat...
É, foram vazios...
Vazios!
Como vazias foram as suas idéias, as suas armas, os seus feitos.
Vamos gente!
Erguer a cabeça. Como o sol que se ergue todos os dias. Sem vazios e sem medos.
Medo.
Medo, angústia
angústia, vazio
Vazio. Espaço aberto na mente. Que se preenche com o bem ou com o mal.
Se o mal domina o homem cai, se o bem domina enchendo o vazio, o homem se eleva,
o homem se eleva,
se eleva.
Antonio Pereira APON
Enviado por Antonio Pereira APON em 25/10/2006
Reeditado em 14/07/2010
Código do texto: T273643

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (http://www.aponarte.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Antonio Pereira APON
Salvador - Bahia - Brasil, 52 anos
158 textos (33956 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 06:36)
Antonio Pereira APON