Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poeta quero ser

 
Poeta quero ser da melodia à rima,
do grito de revolta ao grito da recusa...
Que importa se morrer nos braços da Medusa,
se há muito eu já morri, nas ruas de Hiroshima?
 
 
Aqui, recuso ter a paz dos cemitéros.
Aqui, recuso ser um cúmplice comparsa
que aplauda ou represente a náusea desta farsa
que, sobre escombros, ergue os circos dos impérios.
 
 
Vermelho é o meu sangue e vivo se derrama
em versos de emoção, num grito de recusa,
sem nunca se render, à fúria que o vitima.
 
 
Do tempo que passou ao tempo que me chama,
que importa o meu morrer nos braços da Medusa
se há muito eu já morri nas ruas de Hiroshima?
 
 
7 de Agosto de 2004.
Viana do Alentejo * Évora * Portugal
José Augusto de Carvalho
Enviado por José Augusto de Carvalho em 24/06/2005
Código do texto: T27484
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Augusto de Carvalho
Portugal, 79 anos
182 textos (7605 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 12:06)
José Augusto de Carvalho